PortuguêsEnglish

Pesquisa sobre a Pele de Tilápia recebe o Prêmio Euro de Inovação na Saúde

25 de setembro de 2020

Na noite desta quarta-feira, 24 de setembro de 2020, o projeto intitulado “A Pele de Tilápia: Um Novo Biomaterial para Tratamento de Queimaduras, Feridas, Cirurgias Ginecológicas e Medicina Regenerativa” sagrou-se campeão do primeiro Prêmio Euro de Inovação na Saúde, idealizado e patrocinado exclusivamente pela empresa farmacêutica brasileira Eurofarma. O projeto é coordenado por Dr. Edmar Maciel Lima Júnior, Dr. Felipe Augusto Rocha Rodrigues, Dr. Carlos Roberto Koscky Paier e pelos docentes do PPG em Farmacologia Prof. Dr. Manoel Odorico de Moraes Filho e Profa. Dra. Maria Elisabete Amaral de Moraes. O Dr. Edmar Maciel é diretor do Instituto de Apoio ao Queimado (IAQ) e Prof. Odorico é diretor do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM) da UFC, onde os demais coordenadores também atuam como investigadores. Junto a eles, uma equipe de 227 pesquisadores compõem o esforço da pesquisa, que culminou no desenvolvimento do curativo biológico de pele de Tilápia, aplicado com sucesso no tratamento de queimaduras e vaginoplastias em mais de 500 pessoas, sem rejeição ou infecção. O curativo é barato, biossustentável, efetivo e reduz a dor do paciente. A pesquisa proporcionou 21 publicações especializadas e diversas matérias jornalísticas ao redor do mundo, além de ganhar 14 prêmios científicos. O sucesso do curativo tem motivado a criação de uma matriz extracelular descelularizada derivada da pele de Tilápia, ainda em teste em animais, para uso cirúrgico em 10 especialidades médicas. Esses resultados confirmam a pele de Tilápia como um novo biomaterial de grande potencial em medicina regenerativa. Dentre as muitas pesquisas relativas à pele de Tilápia, algumas foram desenvolvidas com a participação de pós-graduandos do Programa de Pós-graduação em Farmacologia da UFC.

Fonte: Dr. Carlos Roberto Koscky Paier.